quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Encontro de Dança (ENDA 2017) acontece dias 30 e 31 de agosto no Sesc Pinheiros

Reverancce. Foto/Nanah D'Luize
A 35ª edição do ENDA - Encontro Nacional de Dança - acontece nos dias 30 e 31 de agosto (quarta e quinta, às 20h), no Teatro do Sesc Pinheiros, em São Paulo, com ingressos grátis.

O tradicional evento, realizado pelo SINDDANÇA - Sindicato dos Profissionais de Dança do Estado de São Paulo, com curadoria de Maria Pia Finócchio, apresenta um panorama atual da dança para o público paulistano.

Esta edição do ENDA reúne 20 grupos/companhias que apresentam 49 coreografias de curta duração em várias modalidades . A mostra se caracteriza pelo dinamismo no palco, pela variada formação dos grupos e pela diversidade de estilos: são espetáculos de balé clássico, moderno e contemporâneo, dança de salão, sapateado, jazz e outros.

Entre os grupos inscritos estão: CEDAN - Companhia Estável de Piracicaba com as coreografias “Tanguetto” e “O Corsário”; EDAP - Escola de Danças e Artes Paulista com “Pas de Trois de Paquita” e “Jardim Animee”; Cia. Panteras dançando “Tribo”; Estúdio Líria Dourado com “Porque Tem que Ser Você” e “Paysant”; Studio Giselle em “Sunset”; Faces Ocultas Cia Experimental dançando “Pedras Plantas Criaturas” e “Maçã de Eva”; Ballet Paula Gasparini com as coreografias “Estação” e “Grand Tarantella”; Núcleo Reverancce com “Código de Barras” e “A Bela Adormecida”; Ballet Paula Firetti dançando “Lamento” e “The Fairy Doll”; entre vários outros.

O ENDA conta com um corpo de jurados - personalidades do mundo da dança - que avalia o desempenho dos grupos e bailarinos para premiar aqueles que mais se destacam no evento. Entre eles, Sara Debenedetti (coreógrafa de dança moderna e contemporânea, atuante em Turim, Itália), Maiza Tempesta (São Paulo, coreógrafa e diretora de musicais), Isabel Mano (professora de dança formada pela Escola Municipal de Bailados SP e Royal Academy of Dance).

Na noite de encerramento será anunciado os melhores grupos (1º lugares) e os vencedores se apresentam novamente no Dia do Profissional da Dança, juntamente com companhias profissionais convidadas, ainda em 2017, com data a ser definida. Na ocasião serão entregues os prêmios em dinheiro e bolsas de estudos (no Brasil e Exterior) para os vencedores do evento.
 
Ballet Paula Gasparini. Foto/R.Hatsushi
O ENDA é pioneiro no estímulo à dança no Brasil, inspirando a realização de outros festivais pelo país. Há quase 40 anos vem revelando e lançando talentos desta arte, bailarinos que se projetaram e, hoje, participam de importantes grupos nacionais e internacionais. Atualmente, tem curadoria de Maria Pia Finócchio, que também é diretora do Sindicato dos Profissionais de Dança do Estado de São Paulo. Destinado aos profissionais da dança em atividade, contempla ainda a categoria amador e a semiprofissional.

Direção geral e curadoria: Maria Pia Finócchio
Produção: SINDDANÇA - Sindicato dos Profissionais de Dança do Estado de S. Paulo.
Informações sobre o evento: (11) 3106-6802 e www.sinddanca.com.br.

Grupos e coreografias

Grupo Paula Firetti: Diana e Action, The Fairy DollLamento e Massa.
Balé Paula Gasparini: EstaçãoO Corsário, Paquita e Gran Tarantela.
Reverancce Nucleo de Dança: Código de Barra, Rhapsodya, XXI e A Bele Adormecida.
Grupo La Danse: Gatas, Alegria na Corte, Gata Borralheira e Lembranças.
Grupo Fama: Valsa dos Arcos e Tchaikovsky.
Applause Dance Center: Valsa das Fadas, You and Me, Charm e For Goog.
Studio Líria Dourado: Purple Rain, Porque Tem que Ser Você e Paysant.
Instituto Gnética: Quando a Vida Escolhe, Reencontro e Consequências do Destino.
OCAC Cia. de Dança: Pelo o Caminho e Entre Nós.
Ballet Thatiana Orite: In Concert e Trois de Odaliscas.
Studio Giselle Danças: Sunsert.
Dançartes: Lagoa de Lágrimas.
Cia. Panteras: Tribo.
Companhia CEU Jaguaré: Piratas do Caribe.
Movimento Livre: Reach.
Faces Ocultas Cia Experimental: Pedras, Plantas, Criaturas, Maçã de Eva e Ezecren.
Studio Arqdança: Angels.
Cia. de Dança Regina Acevedo: Run Boy.
Garra Centro de Arte: Origem.
CEDAN – Cia. Estável de Dança: A Caverna dos Piratas, Tanguettos, Diana e Action e La Esmeralda.

Serviço

Dança: 35º ENDA - Encontro Nacional de Dança
Dias 30 e 31 de agosto. Quarta e quinta, às 20h
Local: Sesc Pinheiros (Teatro Paulo Autran)
Classificação etária: 5 anos. Duração: 2h40 (c/ intervalo).
Ingressos: Grátis – Retirar na bilheteria da unidade, a partir das 14h do dia de cada apresentação (limite de 4 ingressos por pessoa).
1010 lugares. Acesso universal. Ar condicionado.

Sesc Pinheiros
Endereço: Rua Paes Leme, 195.
Tel.: 11 3095.9400

Assessoria de imprensa / ENDA
Eliane Verbena / João Pedro
Tel: (11) 2738-3209 / 9-9373-0181 - verbena@verbena.com.br

Assessoria de imprensa / Sesc Pinheiros
Tel: (11) 3095-9425 / 3095-9446 / 3095-9423

Yoga é tema de série de atividades no Sesc Belenzinho, entre 24 e 27 de agosto


O Sesc Belenzinho apresenta, entre os dias 24 e 27 de agosto, o projeto Yoga: Qual Sua Busca?. A programação traz bate-papos com temas variados, aulas de yoga, show com o grupo Pedra Branca, meditação e oficinas de jardinagem e sacolas usando mandalas.

Foto: Nathalia Moraes
  
Programação: Yoga: Qual Sua Busca?
Aulas Abertas, bate-papos, oficinas e apresentações.

Show: Pedra Branca

O grupo Pedra Branca, fundado em 2001, desenvolve uma sonoridade com base em pesquisas de música étnica mundial traduzida ao mundo contemporâneo. Além da música, o grupo atua com danças e performances interagindo com conceitos e expressões artísticas visuais.
Local: Teatro. Duração: 1h30. Não recomendado para menores de 12.
R$ 20,00, R$ 10,00, R$ 6,00. (Limite de 4 ingressos por pessoa)
24/08. Quinta, às 20h30

Vivência: Satsanga

Meditação musical para abertura das atividades dia, no Encontro de Yoga, com participação de Marco Maia, Rachel Nascimento e Bruna Iksilara.
Necessário traje adequado para a prática. Para utilização dos armários é necessário ter cadeado. Inscrições no setor de Esportes, no segundo pavimento. 
Local: Convivência. Grátis. Não recomendado para menores de 12.
26/08. Sábado, das 10h às 11h30

Aula aberta: Bollywood

Vivências de Dança Indiana Moderna, modalidade muito presente nos filmes da indústria indiana de cinema.
Necessário traje adequado para a prática. Para utilização dos armários nos vestiários é necessário trazer cadeado. 
Local: Ginásio. Retirar senha com 30 minutos de antecedência no local.
Não recomendado para menores de 12. Grátis.
06 a 20/08. Domingos, das 16h às 17h30
27/08. Domingo, das 15h30 às 17h

Bate-papo: Yoga: Qual Sua Busca?
Com Marco Schultz

Abertura do Encontro de Yoga e bate-papo sobre o tema "Yoga: Qual sua busca?".
Local: Teatro. Retirar ingressos com 1h de antecedência no local.
Não recomendado para menores de 12. Grátis.
25/08. Sexta, das 19h30 às 21h30.

Bate-papo: Meditação Mindfullness
Com Beatriz Azevedo

Bate-papo e prática sobre exercícios e a técnicas de meditação para "esvaziar a mente". Necessário traje adequado para a prática. Para utilização dos armários é necessário ter cadeado. Inscrições no setor de Esportes a partir de 16/08 no segundo pavimento.
Local: Sala de Oficinas 3. Grátis. Não recomendado para menores de 12.
26/08. Sábado, das 13h30 às 15h

Bate-papo: Organização da Rotina em Busca de Qualidade de Vida
Com Fernando Novaes

Bate-papo sobre as tarefas cotidianas, estresse, falta de tempo e a busca por qualidade de vida diante de todas essas dificuldades.
Necessário traje adequado para a prática. Para utilização dos armários é necessário ter cadeado. Inscrições no setor de Esportes a partir de 16/08 no segundo pavimento.   Local: Sala de Oficinas 3. Grátis. Não recomendado para menores de 12.
26/08. Sábado, das 15h30 às 17h

Bate-papo: Alimentação Saudável e Yoga
Com João Vieira

Bate-papo sobre alimentação saudável como estilo de vida e a influência da alimentação para a prática de Yoga.
Necessário traje adequado para a prática. Para utilização dos armários é necessário ter cadeado. Inscrições no setor de Esportes a partir de 16/08 no segundo pavimento.    Local: Espaço de Tecnologia e Artes. Grátis. Não recomendado para menores de 12.
27/08. Domingo, das 13h30 às 15h

Yoga: Meditação por Meio dos Sons
Com Helder Araujo

Vivência de Meditação Dinâmica e Estática, na qual o participante tem diversas experiências sonoras com instrumentos indianos como Sitar, Bansuri, Ney (flauta sufi) e sinos budistas em busca de relaxamento.
Necessário traje adequado para a prática. Para utilização dos armários é necessário ter cadeado. Inscrições no setor de Esportes a partir de 16/08 no segundo pavimento.    Local: Sala de Expressão Corporal II. Grátis. Não recomendado para menores de 12.
26/08. Sábado, das 13h30 às 15h

Yoga: Yoga Restaurativo
Com Laura Torrezan

Técnica de Yoga onde são utilizados acessórios tais como blocos, bolsters e cobertores para relaxamento e conforto nas posturas.
Necessário traje adequado para a prática. Para utilização dos armários é necessário ter cadeado. Para esta prática é necessário trazer um cobertor que servirá como apoio corporal para alguns exercícios. Inscrições no setor de Esportes a partir de 16/08 no segundo pavimento.
Local: Sala de Expressão Corporal II. Não recomendado para menores de 12. Grátis.
26/08. Sábado, das 15h30 às 17h
27/08. Domingo, das 13h30 às 15h

Yoga: Meditação Ativa
Com Laura Torrezan

Técnica de Meditação Dinâmica, na qual o participante tem que estar continuamente alerta, cônscio e atento aos comandos.
Necessário traje adequado para a prática. Para utilização dos armários é necessário ter cadeado. Inscrições no setor de Esportes a partir de 16/08 no segundo pavimento.
Local: Sala de Expressão Corporal I. Não recomendado para menores de 12. Grátis.
26/08. Sábado, das 13h30 às 15h

Yoga: Yoga Dance
Com Luciano Sallun e Natalia Solon

O Yoga com a consciência para a dança e para movimentos do corpo e a Dança para a liberdade e mais movimentos para o Yoga. Necessário traje adequado para a prática. Para utilização dos armários é necessário ter cadeado. Inscrições no setor de Esportes a partir de 16/08 no segundo pavimento.
Local: Sala de Expressão Corporal I. Não recomendado para menores de 12. Grátis.
26/08. Sábado, das 15h30 às 17h

Yoga: Mudras e Hatha Yoga
Com Noedy Almadei

Mudrás são gestos realizados com as mãos que favorecem a sintonia com padrões específicos de energia e aula prática de posturas (Ásanas), técnicas de respiração (Pranayamas) e relaxamento.
Necessário traje adequado para a prática. Para utilização dos armários é necessário ter cadeado. Inscrições no setor de Esportes a partir de 16/08 no segundo pavimento.
Local: Sala de Espetáculos II. Não recomendado para menores de 12. Grátis.
26/08. Sábado, das 13h30 às 15h

Yoga: Yoga em Diferentes Intensidades
Com Fabiana Veronesi

Vivência de Hatha Yoga com diferentes possibilidades de aplicação, intensidade e tempos diferentes, abordando reflexões para atendimento de públicos gerais e específicos.Necessário traje adequado para a prática. Para utilização dos armários é necessário ter cadeado. Inscrições no setor de Esportes a partir de 16/08 no segundo pavimento.
Local: Ginásio. Não recomendado para menores de 12. Grátis.
26/08. Sábado, das 15h30 às 17h

Yoga: Hatha Yoga
Com João Vieira

Aula prática de uma das técnicas mais conhecidas no Ocidente. Consiste na prática de posturas (Ásanas), técnicas de respiração (Pranayamas) e relaxamento. Necessário traje adequado para a prática. Para utilização dos armários é necessário ter cadeado. Inscrições no setor de Esportes a partir de 16/08 no segundo pavimento.
Local: Ginásio. Não recomendado para menores de 12. Grátis.
27/08. Domingo, das 10h às 11h30

Yoga: Cartas dos Ásanas
Com Rosangela Bassoli

Aula prática de Ásanas (posturas de Yoga), por meio de cartões explicativos que facilitam o entendimento e a visualização da postura.
Necessário traje adequado para a prática. Para utilização dos armários é necessário ter cadeado. Inscrições no setor de Esportes a partir de 16/08 no segundo pavimento.
Local: Sala de Expressão Corporal I. Não recomendado para menores de 12. Grátis.
27/08. Domingo, das 13h30 às 15h

Yoga: Pranayamas
Com Josy Arakawa

Técnicas respiratórias e meditativas utilizadas nas práticas de Yoga.
Necessário traje adequado para a prática. Para utilização dos armários é necessário ter cadeado. Inscrições no setor de Esportes a partir de 16/08 no segundo pavimento.
Local: Sala de Espetáculos II. Não recomendado para menores de 12. Grátis.
27/08. Domingo, das 13h30 às 15h

Oficina: Jardim Zen
Com Marcio Valerio

Oficina para a construção de um mini jardim Zen, confeccionado com bambus e areia, onde se propõe uma prática meditativa desde a confecção.
Para utilização dos armários é necessário ter cadeado. Inscrições no setor de Esportes a partir de 16/08 no segundo pavimento.
Local: Sala de Oficinas 1. Não recomendado para menores de 12. Grátis.
26/08. Sábado, das 13h30 às 15h e das 15h30 às 17h

Oficina: Sacolas com Mandalas

Oficina para a construção de mandalas em sacolas com material reciclado, onde se propõe uma prática meditativa desde a confecção.
Para utilização dos armários é necessário ter cadeado.
Inscrições no setor de Esportes a partir de 16/08 no segundo pavimento.
Local: Oficinas 1. Não recomendado para menores de 12. Grátis.

27/08. Domingo, das 10h às 11h30 e das 13h30 às 15h

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Sesc Belenzinho recebe o samba de Marina Íris e sua convidada Ana Costa

Marina Íris, por Lílis Soares
No dia 20 de agosto (domingo, às 18h), o Sesc Belenzinho apresenta a cantora carioca Marina Íris com o show Samba Mulher - Vozes Femininas em Letra, Canto e Batuque. A apresentação, que acontece no Teatro da unidade, tem participação especial de outra intérprete carioca, Ana Costa.

Além de canções próprias, as artistas interpretam composições de outras autoras, entre elas Teresa Cristina, Dona Ivone Lara, Leci Brandão, Martinália e Rosinha de Valença. O show é uma homenagem ao samba, que nasceu em berço matriarcal, nas famosas festas das tias baianas, a exemplo de Tia Ciata. A presença feminina no samba se deu desde que o estilo musical começou, vencendo preconceitos de cor, de gênero e classe social, e legitimando cada vez mais seu lugar e sua voz.

Além de Marina Iris e sua convidada Ana Costa, comandando os microfones, o show tem participação dos instrumentistas Maurício Massunaga (violão 7 cordas), Pedro Franco (bandolim), Carol d'Ávila (sopros), Julio Florindo (contrabaixo), Carlos Cesar (bateria), Rodrigo Jesus (percussão) e Rodrigo Reis (percussão).

Marina Íris - Finalista da 3ª Amostra do Concurso Novos Bambas do Velho Samba, a cantora levou para sua apresentação um pouco do carnaval das décadas de 50 e 60 no Rio de Janeiro. Nos últimos anos, fez shows homenageando grandes compositores. Cantou versos de Paulo Vanzolini, João Nogueira, Cartola, Dorival Caymmi, Nássara, Pedro Caetano e Mario Lago em temporadas nas casas mais tradicionais do Rio de Janeiro como Semente, Bola Preta, Bar do Tom, Centro Cultural Carioca, Centro de Referência da Música Carioca e Rio Scenarium.  Desde 2012, Marina se apresenta regularmente no Carioca da Gema, na Lapa, recebendo convidados da nova geração da música brasileira. Lançou o primeiro CD em dezembro de 2014, no Teatro Rival, e, desde então vem mostrando seu trabalho em unidades do Sesc, casas de show e festivais pelo Brasil e exterior em cidades como Berlim (Alemanha), Colônia (Alemanha) e Rietberg (Alemanha).
Ana Costa, por Alice Venturi

Ana Costa – Consolidou sua carreira solo, em 2006, com o CD Meu Carnaval (Zambo). Ano em que foi eleita Cantora Revelação no 5º Prêmio Rival Petrobras de Música. Cantou na música-tema dos jogos Pan-americanos 2007, “Viva Essa Energia”, junto com Arnaldo Antunes, e foi indicada como melhor cantora de samba no V Prêmio TIM de Música. Em 2009, lançou o dusco Novos Alvos com o qual se apresentou na Europa e África, Salvador, Recife, DF e Belo Horizonte, além de emplacar a música “Almas Gêmeas” na novela Tempos Modernos (Rede Globo). Em 2012, veio Hoje É o Melhor Lugar, sendo também indicada ao Prêmio da Música Brasileira como melhor cantora de samba. Ambos pela Biscoito Fino/Zambo. Seu recente trabalho, Pelos Caminhos Do Som (especial de TV, CD e DVD), foi gravado, em 2014, com participação de convidados. O repertório traz um recorte da obra lusófona de Martinho da Vila e lhe rendeu nova indicação Prêmio da Música Brasileira como cantora de samba.

O projeto SALVE SAMBA! apresenta o ritmo genuinamente brasileiro em seus diversos estilos apresentado por artistas da jovem e da velha guarda.

Serviço

Show: Marina Íris & Ana Costa
20/08. Domingo, às 18h
Local: TEATRO (392 pessoas). Duração: 1h30. Não recomendado para menores de 12.
Ingressos: R$ 20,00 (inteira); 10,00 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor da escola pública com comprovante) e R$ 6,00 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes). Venda pelo Portal e unidades do Sesc.

Sesc Belenzinho
Endereço: Rua Padre Adelino, 1000
Belenzinho – São Paulo (SP). Telefone: (11) 2076-9700
Estacionamento: Para espetáculos com venda de ingressos após as 17h: R$ 15,00 (não matriculado); R$ 7,50 (credencial plena no SESC - trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo/ usuário).


Dinah Perry e Jorge Garcia realizam ensaio aberto do espetáculo D’arc - Dark

Concebido pelos coreógrafos Dinah Perry e Jorge Garcia, o espetáculo D’Arc - Dark tem ensaio aberto no dia 20 de agosto (domingo, às 19h), no Espaço Capital 35, que fica na Rua Capital Federal, 35, em Perdizes.

D'arc - Dark é dividido em dois atos sequenciais com 30 minutos de duração cada. São coreografias distintas que mostram o diferente olhar dos coreógrafos para o mesmo tema, mas que se complementam ao contemplar a mulher de todos os tempos.

Tanto D’arc de Dinah Perry quanto Dark de Jorge Garcia tem Joana d’Arc como inspiração: heroína francesa, santa da igreja católica e padroeira da França que foi chefe militar na Guerra dos Cem Anos, condenada à execução na fogueira sob a acuação de bruxaria. Dinah traz a Joana D’arc inserida nas questões da mulher contemporânea; já Garcia explora o lirismo e as dores desse arquétipo de mulher. Embora o período medieval seja pano de fundo, o espetáculo contexto atemporal.

A coreografia de Dinah Perry reúne elementos da dança, do teatro e da expressão corporal, amarrados por textos autorais. Em foco o corpo dinâmico em combate, propondo imagens intensas às cenas. Em D’arc, a mulher aparece inserida nas mazelas do mundo atual, questionando as relações humanas ceifadas pelo poder, pela inveja e solidão.

A criação de Jorge Garcia aborda Joana d’Arc como símbolo do sofrimento das mulheres acusadas de bruxaria na Idade Média. O nome ‘dark’, de escuro, é uma metáfora ao nome da heroína, para trazer luz ao escuro da cena e refletir sobre uma cultura que ainda hoje se faz presente. A sensação de ser queimado e a imagem sensorial desta ação trazem para a coreografia Dark o discurso ao qual se propõe. Manipulam-se corpos em cena enquanto são manipulados o sofrimento e o aprisionamento.

Enquanto a música lírica pontua a encenação de Dinah, musicais de Björk aparecem em coro, como um lamento, na criação de Garcia. As duas coreografias trazem um mesmo elenco de quatro bailarinas - Ana Carolina Barreto, Carine Shimoura, Letícia Leão e Paula Miessa -, além de Julia Cavalcante (somente em D’arc). D’arc - Dark estreará em breve, cuja data será divulgada, oportunamente.

Serviço

Ensaio aberto / dança: D’arc - Dark
Coreógrafos: Dinah Perry e Jorge Garcia
Dia 20 de agosto. Domingo, às 19h
Espaço Capital 35
Rua Capital Federal 35, Perdizes. SP/SP (Metrô Sumaré).
Entrada livre. Duração: 60 min. Classificação: 10 anos.


Porto das Monções, filme de Vicentini Gomez, tem exibição grátis no Cine Olido dia 21 de agosto

O filme Porto das Monções, de Vicentino Gomez, tem exibição gratuita no dia 21 de agosto (segunda, às 18h30), no Cine Olido, integrando o projeto CineClube Show Especial.

Porto das Monções é um docudrama, um documentário com reconstituição de cenas, que conta a trajetória das expedições que singraram o Rio Tietê nos séculos XVII e XVIII.

Quando o ouro foi descoberto em Cuiabá, as expedições comerciais e militares partiam de Araritaguaba, atual Porto Feliz, lugar de onde o Rio Tiete possibilitava navegação. Os batelões – barcos feitos de uma tora única com até 15 metros de comprimento - era o meio de navegação. O ouro era o objeto de desejo e as viagens eram grandes aventuras, duravam o mesmo tempo da rota entre Portugal e a Índia, de cinco a seis meses. A pequena localidade era base das chegadas e partidas das expedições, de pouco conhecimento do público brasileiro.

Monções é o termo empregado para designar o movimento de navegação fluvial para o oeste, realizado pelos paulistas na época.  O trajeto entre Araritaguaba e Cuiabá, diferentemente da navegação marítima, não dependia dos ventos, mas da chuva e da cheia. Empregava remos e necessitava da força física. Milhares de pessoas abarrotaram centenas dessas grandes canoas e, ao longo dos dois séculos, singraram a remo as águas dos rios Tietê, Paraná, Pardo, Coxim, Taquari e afluentes do Paraguai, venceram cachoeiras, intempéries, animais selvagens e ataques indígenas para alcançar a região das minas de ouro. As monções alargaram as fronteiras do território, plantaram cidades e fomentaram o mercado interno da Colônia.

Porto das Monções faz uma narrativa emocionada deste capítulo da História do Brasil, praticamente ausente das páginas dos livros didáticos e ignorado em tantas outras narrativas da História pátria. O naturalista francês Auguste de Saint Hilaire, quando conheceu pessoalmente parte da rota fluvial das monções, escreveu, no início do século XIX: “no porto de Araritaguaba tiveram origem essas navegações fluviais que enchem de espanto os europeus acostumados aos seus mesquinhos rios”. Dois destacados historiadores escreveram livros sobre o assunto: Afonso de Escragnolle Taunay e Sérgio Buarque de Holanda.

Vicentini Gomez empreendeu em Porto das Monções uma linguagem dinâmica, fluente e clara, mesclando depoimentos de historiadores, geógrafos e especialistas abordando os desígnios dos administradores coloniais, a forma de organização das expedições, as embarcações, os ideais e as ambições de seus participantes, além das dificuldades da navegação fluvial. O cenário principal é o porto das partidas e chegadas das Monções e o próprio Rio  Tietê com encenações filmadas nos mesmos locais dos acontecimentos da saga das monções.


Ficha técnica

Produção, roteiro e direção: Vicentini Gomez
Computação gráfica e finalização: Hugo Caserta
Trilha sonora: Renato Pires
Duração: 72 minutos. Classificação: Livre. Docudrama.
Elenco: Gésio Amadeu, Claudimir Causin, Enio Gonçalves, Henrique Taubaté Lisboa, Maximiliana Reis, Rosana Diniz, Kátia Campos, Edison Sobral, Gilson Geraldo, João Brusco, Pedro Paulo Vicentini, Toni Gonçalves e mais duas centenas de atores.
Depoimentos:   Jonas Soares de Souza, Hernani Donato, Paulo Micelli, Julio Abe Wakahara, Almirante Max Justus Guedes, Monsenhor Jamil Abib, Valderez da Silva, Mylton Ottoni e Adolfo Frioli.

Serviço

Exibição/filme: Porto das Monções
De Vicentini Gomez
21 de agosto. Segunda, às 18h30
Cine Olido
Avenida São João, 473 - São Paulo/SP. Tel: (11) 3331-8399
Grátis. Livre. Ar condicionado. Acessibilidade. Ingressos 1h antes.
Realização/evento: CineClube Show Especial, Faby Oliveira, Clery Cunha, SPCine, Centro Cultural Olido.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Sesc Consolação apresenta o infantil Histórias de Alexandre com direção de Cristiane Paoli Quito

O Grupo 59 de Teatro apresenta, em setembro, o espetáculo infanto-juvenil Histórias de Alexandre, a partir da obra de Graciliano Ramos, no Teatro Anchieta do Sesc Consolação. Com direção de Cristiane Paoli Quito, a temporada vai de 2 a 30 de setembro, aos sábados e feriado, às 11 horas.

A peça reúne histórias e fanfarronices de um típico mentiroso do sertão, numa encenação recheada por canções inéditas. Publicado em 1944 por Graciliano, o livro, homônimo traz contos coletados na memória oral do folclore nordestino, resgatando crenças, costumes e mitos da região. Na transposição para o palco, foram selecionadas algumas histórias, respeitando e mantendo na íntegra as palavras do autor.

Alexandre é um homem já velho; tem um olho torto e fala bonito: um típico contador de histórias. Está sempre acompanhado pelos moradores das redondezas e até por pessoas de consideração, que vem à sua modesta casa para ouvir as narrativas “fanhosas” que conta: Seu Libório, cantador de emboladas; o cego preto Firmino; mestre Gaudêncio Curandeiro, que reza contra mordedura de cobras; e Das Dores, benzedeira de quebranto. Cesária, mulher de Alexandre, está sempre por perto, e pronta para socorrer o marido quando ele se “engancha” ou é questionado em suas narrativas.

Apropriando-se do universo linguístico e das imagens sugeridas por Graciliano Ramos, Histórias de Alexandre dá corpo e voz à palavra escrita, tecendo uma “colcha de retalhos” onde os atos de contar, cantar e dramatizar se entrecruzam e criam uma poética propícia à invocação da memória afetiva.

A diretora fala da importância que teve a apropriação das palavras pelos atores no processo criativo, já que o texto foi escrito há mais de 70 anos, com um vocabulário distinto do atual: “é fundamental que as histórias sejam compreendidas por todas as crianças, tanto as menores quanto os adolescentes, por isso as experimentações que fizemos com a presença do público foram tão importantes para encontramos o caminho da encenação”, explica Cristiane Paoli Quito.

A montagem reflete a atmosfera da obra literária para receber os ouvintes das histórias de Alexandre e promove uma experiência de troca onde a simplicidade e o despojamento do ato cênico, em tom de conversa, convocam a participação e imaginação de todos.

A musicalidade, característica dos trabalhos do Grupo 59 de Teatro, tem lugar de destaque no espetáculo. Todas as canções foram criadas coletivamente a partir de passagens do livro, inclusive com algumas citações ao cancioneiro popular brasileiro. O repertório inclui embolada, repente, reza, canções populares e modas de viola que são interpretadas pelo coro de atores, acompanhados por instrumentos acústicos (violão, viola, acordeom, flautas, pífaro, berimbau e percussão) executados ao vivo. A palavra cantada não só dá suporte, como também exerce função narrativa nas formas épica, lírica e dramática.

Com a encenação de Histórias de Alexandre o grupo dá continuidade à investigação iniciada, em 2009, com O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá (espetáculo também dirigido por Cristiane Paoli Quito), na qual busca uma forma de se comunicar com a criança por meio de um jogo-brincadeira de contação de história, apoiado fundamentalmente na palavra e no trabalho corporal dos atores. A arte do grupo busca estimular nos pequenos espectadores a criatividade, a imaginação e a inventividade, características típicas das tradicionais brincadeiras de rua e de quintais.


Sinopse

Na pequena sala de Alexandre os amigos se reúnem para ouvir suas aventuras e façanhas, sempre narradas com exagero e entusiasmo. Sua mulher, Cesária, acompanha tudo de perto e nunca deixa o marido perder o fio da meada. São essas histórias de Alexandre que o Grupo 59 de Teatro “conta cantando” e “canta contando”: um convite a todas as idades para a aventura de imaginar o possível e o impossível, pelas palavras de Graciliano Ramos.

Ficha técnica / Serviço

Texto: Graciliano Ramos. Roteiro: Cristiane Paoli Quito e Grupo 59 de Teatro. Direção geral: Cristiane Paoli Quito. Elenco: Grupo 59 de Teatro – Carol Faria, Felipe Alves, Felipe Gomes Moreira, Fernando Oliveira, Gabriel Bodstein, Gabriela Cerqueira, Jane Fernandes, Nathália Ernesto, Nilcéia Vicente, Ricardo Fialho e Thomas Huszar. Figurino: Claudia Schapira. Iluminação e ambientação: Cristina Souto. Preparação corporal: Letícia Sekito. Direção musical: Felipe Gomes Moreira e Thomas Huszar. Registro audiovisual: Vítor Meloni. Produção: Grupo 59 de Teatro. Assessoria de imprensa: Verbena Comunicação.

Serviço

Espetáculo: Histórias de Alexandre
Temporada: de 2 a 30 de setembro. Sábados e feriado de 7 de setembro, às 11h.
Duração: 60 minutos. Classificação indicativa: 6 anos.
Local: Teatro Anchieta (280 lugares)
Ingressos: R$ 17 (inteira); R$ 8,50 (estudante, servidor de escola pública, + 60 anos, aposentados e pessoas com deficiência); R$ 5,00 (credencial plena do Sesc). Grátis para crianças até 12 anos. 
Bilheteria: segunda a sexta (12h às 22h), sábado (10h às 21h) e domingo (16h30 às 18h). Aceita Cheque e todos os cartões. Ingressos nas bilheterias das unidades do Sesc São Paulo.
Ar condicionado e acesso universal. Não faz reservas. Não possui estacionamento.

Sesc Consolação
Rua Dr. Vila Nova, 245 - Vila Buarque. SP/SP.
Tel: (11) 3234-3000 / www.sescsp.org.br/consolacao 

PERFIS

Graciliano Ramos - O alagoano Graciliano Ramos, um dos mais importantes escritores brasileiros, publicou obras fundamentais de nossa literatura como Vidas Secas, São Bernardo, Angústia e Infância. Sua atuação como escritor abrange a colaboração em jornais do Brasil e do exterior como contista, cronista e colaborador. Exerceu cargos públicos como o de prefeito de Palmeira dos Índios, em 1928, e diretor da Instrução Pública do Estado de Alagoas, em 1933. Em 1936 foi preso em Maceió, sem culpa formada, sob a alegação de ser comunista. Na cadeia, onde ficou por quase um ano, reuniu anotações para o livro Memórias do Cárcere, publicado após sua morte. Em 1945, filiou-se ao Partido Comunista do Brasil. Sua obra, constantemente revisitada por críticos e estudiosos, já ganhou adaptações para o cinema, o teatro e a televisão.

Cristiane Paoli Quito - Diretora e pesquisadora, Cristiane Paoli Quito projetou-se na cena teatral paulista nos anos 1990, pelos de seus espetáculos recheados de técnicas e referências da commedia dell'arte. Na segunda metade da década, voltou-se para a dança, e desenvolveu linguagem própria, calcada na pesquisa sobre a dramaturgia do intérprete em improvisação. Como diretora, investiga as intersecções entre as linguagens teatro, dança, circo, teatro de bonecos, música e performance; desenvolve pesquisas de linguagem que investigam a capacidade criativa do criador-intérprete. Como reconhecimento de seu trabalho, recebeu indicações e foi agraciada com os prêmios SHELL, APCA e FEMSA em diversas ocasiões. É professora na Escola de Arte Dramática (EAD/ECA/USP).

Grupo 59 de Teatro - Formado por 12 atores oriundos da Escola de Arte Dramática (EAD/ECA/USP), o Grupo 59 de Teatro encontra no modo colaborativo de criação, gestão e produção terreno fértil para expressão artística múltipla e heterogênea. Desde sua fundação, em março de 2011, realizou mais de 300 apresentações na região sudeste do país, recebeu o Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro 2011 na categoria Grupo Revelação e participou de festivais. Entre as apresentações do Grupo 59 estão: TUSP (2011), Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto (FIT 2011); V Festival Internacional Paidéia de Teatro para Infância e Juventude (2011); 6º Fentepira - Festival Nacional de Teatro de Piracicaba; Festival SESC de Inverno 2012 (Petrópolis e Teresópolis, RJ); V Festival de Arte para Crianças de Salto, SP (2012); Virada Cultural de São Paulo (2012), Virada Cultural do Interior (2012, 2013 e 2014); Festival Nacional de Teatro de Taubaté (2013); Festival Nacional de Teatro de Araçatuba (2013), 21º Floripa Teatro - Festival Isnard Azevedo (Florianópolis, SC); 1ª Mostra de Artes Cênicas de Mogi das Cruzes (2015); 1ª Mostra Aparte, em Diadema. Foi contemplado pelo ProAC - Programa de Ação Cultural, da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, em 2011 (circulação de O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá) e 2014 (circulação de Mockinpó – Estudo Sobre um Homem Comum) para turnê no interior do estado; pelo Viagem Teatral do SESI, edições 2012 e 2013; pelo ProArt 2012 (circulação nos CEUs da capital); pelo Mosaico Cultural 2012; e pelo Circuito Cultural Paulista de 2013. No início de 2013, a convite da Universidade de São Paulo (USP), apresentou seu repertório na programação do XX Festival Internacional de Teatro Universitário da Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM), na Cidade do México.


Informações à imprensa / Sesc Consolação
Te: (11) 3234-3043 – imprensa@consolacao.sescsp.org.br

Assessoria de imprensa / Grupo 59 de Teatro
VERBENA COMUNICAÇÃO
Eliane Verbena / João Pedro
Tel: (11) 2738-3209 / 99373-0181 – verbena@verbena.com.br